* Outros Blogs do meu Grupo *

terça-feira, 12 de julho de 2011

Um coração solitário

É noite, é frio, é gelado...
É a solidão me abraçando.
É o inverno chegando.

Você não está ao meu lado.
Estou sozinha e sem o seu calor.
Minha companhia é o meu cobertor.

Se você soubesse o quanto sinto a sua falta.
Jamais duvide do que tento dizer em versos.
Você é o motivo dos meus risos graciosos!

Noite fria, noite sem alegria.
Por onde anda o meu amor?
A quem devoto os meus anseios com fervor?
Não deixe meus sentimentos virarem dor.

Graciele Gessner

[....]

Amo-te
solitário no meu viver!
Não importa se me amas,
se ainda me amas!

Amor
trás sofrimento,
não lamento.

Apenas relembro
para matar a saudade
da minha entrega
sem nada te pedir!

Apenas
sereno a alma,
de dar tudo
que existia em mim!

Paixão,
compreensão!

Que restou:
um corpo com
as marcas do amor
que levarão tempo
para desvanecerem…

O que ficará…
Um amor,
um grande amor,
que se tornou
num coração solitário!

José Manuel Brazão

1 comentário:

GHOST disse...

Olá Zé. Tenho sentido a sua falta no Luso...
No entanto vim até aqui para ler mais um belíssimo poema, uma maravilhosa dupla onde o Amor reina, além da solidão.
Abraços e Felicidades.