* Outros Blogs do meu Grupo *

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

A Lua em esplendor

Sou da noite
Borboleta noturna
Desgarrada da flor
Tecendo ilusões
Soluções inacabadas
Inesperadas
Luz da lua
Completamente nua
Exposta em raios
Dispersa no céu
Sem prumo
Rumo ao mar
Sem porto para ancorar
Sem fim.

Luciana Silveira




[...]

Este amor
vivido
nas costas da Lua,
muito sofrido
e num silêncio
que só nós sabemos
e compreendemos!

Ninguém
nos roubará
a cumplicidade,
a paixão vivida
de um amor sem igual!

Dias angustiantes
pela saudade sentida,
noites delirantes
pelo reencontro
destes amantes,
que a Vida
os encaminhou
para este grande amor,
perturbante
mas consolador…

José Manuel Brazão 

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

A saudade mora no meu peito!

A saudade mora
e morará sempre no meu peito.
Não me deixa este sentimento,
esta mistura de sentimentos,
que não controlo,
mas que me aprisiona
com nostalgia, melancolia
com que vivi
ou convivi
por tudo o que passei
de belo ou triste,
que me faz crescer
e não me arrepender
desta saudade que mora no meu peito!

José Manuel Brazão


* Dedico a todo o universo de pessoas que passaram pela minha Vida, uns próximos outros distantes, mas que estarão sempre em mim!


Visitantes dos meus Blogs, Poetas, Família, Poetas Amigos e quem tive relações afectivas mais íntimas. *
http://www.youtube.com/watch?v=oyQkRrb-RLU



MÃE - Doce Lar


Nestes dias frios queria você aqui
Não preocupe-se não, minha mãe
É só essa necessidade de aconchego
No teu doce colo-ventre-pátria
Esse cheiro do alimento vindo de ti
Minha paz e conforto instaurados
Quando estou sob teus olhares
Plenos de luz, amor e doação
É só um fim que quero dar na solidão
Desses dias longos de inverno rígido
E uma vontade de dormir abraçada a ti
Por que mãe, um dia a gente tem que sair


De onde não devia ter deixado nunca?
Por que ter que abandonar o ninho
Deixar para de vez em quando o carinho?
A vida é assim, não é, mãe?
Ambas sabemos a importância de crescer
E aprender a se fazer o conforto de outro ser
Costurarmos essa colcha de retalhos em outras teias
Sem contudo perder o sangue de nossas veias
Mas quero dizer sem ter que chorar
E se for preciso que eu chore então
Que sempre estarei agarrada à tua mão
E dentro de ti, no coração, meu lar.


Luciana Silveira 


Desde que partiste,
minha Mãe,
Ivone, Mãe querida
raro é o dia:
que não te pressinta,
não te sinta,
que não te recorde,
que não te tenha presente.
Para outros
estás ausente!

Quanto mais tempo passa,
mais recorro a ti
meu anjo da guarda
de todos os dias
da minha Vida!

Deste muito amor
e pouco recebeste!

Serás recompensada,
muito iluminada,
minha Mãe,

Ivone, Mãe querida
de todos os dias…

José Manuel Brazão
A nossa SAUDADE por elas é um sentimento tão forte, que SENTIMOS o seu olhar uma Aqui (Mãe de Luciana) e outra no Além (minha Mãe)!
Querida LU
Por razões naturais criámos muitas duplas de poemas, mas esta dupla será sempre a nossa melhor com nossos corações e nuito Amor em cada palavra!





E como escreveu um poeta...porque mãe tem que morrer?.
sentido dueto que abraço deste lado.
bj Eduarda
Há uns dias que ando emocionado e ao ler o poema feito ontem pela Lu, fiquei sem jeito e nasceu este momento muito emocionante nos últimos tempos para mim!
30.Junho.2010
Beijo do 

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Tempo...tanto tempo!

Passou tanto tempo!
O que aconteceu?
Nada!
Ajudei-te?
Quis ajudar,
mas não resultou!

Tratei-te como uma flor,
como uma rosa:
vermelha ou amarela!
Queria ver a tua evolução,
tratei-te com todo o amor,
com o coração.
Ilusão ou desilusão?
Não sei responder!

Pensei
que estavas feliz,
mas o Sol não me ajudou.
Foste empalidecendo,
eu fui sofrendo…

Aqui estou triste,
angustiado,
desesperado,
por não haver um sol nascente,
que te ajude,
como eu gostava!

Passou tanto tempo:
ainda estou aqui!
Não como antes,
mas só:
falta-me a rosa,
que já não é como antes!

José Manuel Brazão


[..]

Descompassado
é meu coração a tua espera
anos-luz e eras
preenchidos
de amor-quimera,
saudades do amanhã
ainda em gestação..(pulsando).

E agora
Quando o tempo nos acolhe
Amigo hoje, vilão outrora
cada segundo parece
ser recheado de eternidade,
cantada em sons de infinito..
E nem meu grito
é capaz de fazer acelerar,
abreviar esse hoje e me jogar de vez
em teu abraço..
que meu cansaço
só de desfaz no
repouso da tua boca
na minha...

o tempo é uma criança matreira a
rir-se de nossas ânsias..
mas temos nosso trunfo meu amor:
somos atemporais.

Sandra Freitas 





segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Coração... sempre o coração!

Para quem já tenha amado e por fim, amado uma ideia que fazia da pessoa em questão, sabe que acaba machucado, sem qualquer defesa.

Quando gostamos daquela pessoa, há momentos inesquecíveis e também terríveis pelo simples fato de como revelar tais sentimentos. Chegamos a desejar em jogar tudo para o alto e revelar que o coração tão puro e frágil está apaixonado.

Contudo, não há garantias para o coração, estamos sujeitos a rejeição, as mágoas, as dores do mundo... Então, há garantias para o coração? Como bloquear ou defendê-lo das (des)ilusões?

Graciele Gessner

[...]


Se um coração teimoso entende que não recebe do(a) outro(a) tudo aquilo que dá, fica com a angústia de que só ele(a) ama!

Mas não será assim! O amor entre duas pessoas vive-se sem medições. Cada um entrega-se com aquilo que a sua capacidade estrutural e harmónica lhe permite.

No amor a fidelidade e a lealdade devem ser igualitárias, mas os sentimentos afectivos já estão sujeitos à tal estrutura pessoal!

Fundamentalmente o amor exige tão simplesmente verdade de ambos e ela nem sempre é aquilo que pretendemos!

José Manuel Brazão

acalenta Que lindo dueto,adoro seus duetos parabens Ze e Graciele vocês dão shou.
beijos aos dois.
José Manuel Brazão acalenta, És muito querida com os teus comentários.
Agradeço a tua presença.
Beijos nossos
Graci e Zé




domingo, 18 de dezembro de 2011

Um lugar somente nosso

Em algum lugar
Em que pudesse
Revê-lo e te amar,
Querer-te e abraçar.

Um lugar apenas,
Em que seria o sempre,
Pertenceria, permaneceria
Em nossa eterna história.

Um lugar somente nosso, de encantos;
Quão mágico e cheio de esperança,
Lembranças dos nossos sentimentos.

Graciele Gessner


[....]

Há tanto tempo,
que sonho
com este momento!

Conhecemo-nos
tão bem,
como se vivêssemos,
juntos
cada instante da vida!

Distante
vivo as tuas amarguras,
os teus dilemas,
o querer e não poder,
que por vezes
penso :
estamos tão próximos!

O meu coração
embriaga-se de paixão,
de amor;
visto-te rosas vermelhas.
Olho o teu corpo,
fascino-me
com esse jardim,
delicio-me
com as pétalas de amor,
cheiro
o aroma que vem do teu corpo!

São os meus pensamentos,
distante de ti!
Estou cansado de sonhar,
mas vivo para te amar!

Há tanto tempo,
que sonho
com este momento!

Aguardo o teu sorriso!

José Manuel Brazão

José, histórias que se repetem, conhecidas, que causam emoção pois tocam profundamente o coração. O poema revela histórias conhecidas e igualmente vividas...Belos poemas de amor que encantam, que emocionam...Parabéns pra ti e para a poetisa Graciele! Bjos
Katia Naegelle

sábado, 17 de dezembro de 2011

Não entendo!

Às vezes parece estar caído de carinho, talvez algum amor contido; por outras me ignora, me machuca, me evita. Parece gostar de brincar com os sentimentos alheios; deve achar divertida tal situação, porque outra explicação não existe.


Lá no fundo eu já pressentia que você não era a pessoa em que pudesse confiar, jamais transpareceu segurança.


Bons momentos, tão poucos, eu tenho que admitir. Porém, o que são momentos solitários, comparados com o sentimento que sinto agora? Você foi alguém que acreditei ser possível, mas hoje, o possível talvez seja esquecer tudo que um dia vivi contigo.


E por falar em esquecer, sempre fui fria e distante em questão de esquecer pessoas sem qualquer importância na minha vida. Tenho uma enorme facilidade de esquecer tudo que me machuca. Sempre fui assim e assim permanecerei. Evitando maiores dores, mágoas, desentendimentos.


Raras foram às vezes em que chorei por “amor”. Derramei lágrimas por amores que me foram compartilhados, onde o coração, alma, corpo e a mente andaram juntos, sem qualquer restrição.


Tudo bem! Fico não entendendo tal atitude, não entendendo a postura de um ser que se comporta como um bicho recuado.


O perdão, você já recebeu, não quero levar amarguras de algo não compreensível. Ergo a cabeça, sigo em frente. Viro a página e dou início a uma nova felicidade...


Graciele Gessner 



[..]

Não queres…

e a esperança
ficou ferida,
a mente abalada!

Meu coração
estremeceu,
fez-se escuridão
em mim!

Tanto amor,
que dei,
dou e darei
por ti
que não queres…

Um pouco da Vida
Estilhaçou,
mas apanharei
esses bocados
para misturar
a momentos bons
que a vida nos deu!

Não queres…
eu continuo a querer
e a amar-te!

José Manuel Brazão


Ah, Zé! Não sei explicar este texto, é dedicado à alguém, alguém que apesar de tudo, eu gosto. Gostar é raro, gostar de alguém realmente é difícil. Acho que um dia ainda escreverei melhor sobre o ato de gostar. Hoje estou sentimental... Beijos na alma, meu poeta-amigo! Te gosto muito, viu?!
Beijo 
Graciele


Já escrevi aqui que és uma mulher marcante na minha Vida que Deus me concedeu!

Somos exemplares na nossa Amizade, essa sim a forma mais pura de amar!
Ao fim do tempo em que convivemos e colaboramos juntos já não restam dúvidas!

Estou sempre disposto a valorizar as pessoas que estão próximo de mim!
 Beijo  



quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Nosso sofrer pela distância!

Se eu pudesse …
vestia o teu corpo
de rosas vermelhas!
Olhava-te,
seduzia-te …

Ao meu redor,
exalava do teu corpo,
o aroma das rosas.

Desse corpo
de incontida paixão,
tirei uma a uma,
cada rosa vermelha.

Teu corpo ficou belo,
muito belo …
sofri,
perante o meu oásis!!!

José Manuel Brazão


[....]

Cada rosa com que enfeitaste meu corpo
De botões desabrocharam-se em flor
E são milhares de botões
Caindo em pétalas de diversos matizes
Todos eles em tons de vermelho-paixão
Lembrando-me cheiros do nosso amor
Forte, intenso e lascivo
Eternizados na beleza e na cor
Comemos cada pedaço dessa maçã-do-amor
Reminiscências de cada momento vivido
E nosso sofrer pela distância
Torna-se belo e calmo
Diante da grandeza do oásis almejado.

Luciana Silveira

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Melancolia / Nostalgia

Triste amanhecer
Olhos em névoa
Ofuscando minhas manhãs de sol
Todos os dias eles se entristecem
E entristece também a minh'alma


Um círculo vicioso
Que nunca se acaba
Sempre assim as minhas manhãs
Nostálgico jardim abandonado
Flor que fenece sem orvalho


Mas com o passar das horas
A melancolia vai embora
E meus olhos voltam a brilhar
E já até consigo sorrir
E já até consigo sonhar ...

Regina Ragazzi

[....]

Cada dia que nasce
a nostalgia percorre
teu corpo e alma
e fica dentro do teu coração!

Vives com olhar distante
vindo até mim,
olhas-me em imagens,
nas palavras e pausas...

O olhar se aproximou
beijas os poemas,
sentes o perfume romântico
de cada um
- viveste dentro deles –
queres evitar de reler e reviver,
mas não consegues,
a nostalgia viverá em ti!

José Manuel Brazão


quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Meu nome é Mulher

Amanheço riacho manso
Águas límpidas descendo a serra
Tão logo curvo o monte
me torno em turbilhão.
Assolo, removo a terra,
desço lambendo a plantação,
borbulho sentimentos,
emoções cativas,
esfrio, aqueço,
chovo lava de vulcão.
Não caibo em mãos,
nem olhares
grito brisa,
cochicho trovão.
Sou fúria em versos
que escorrem
das águas do meu coração.

Sandra Freitas

[....]

Vida
muita vida,
no teu corpo e alma!

Acordas
tanto para viver
alegrias
como tristezas!

O dia passa…
a tristeza da manhã,
foi-se…
a noite é de alegria!

És mesmo um vulcão!

José Manuel Brazão

És tu e só tu, minha querida Amiga!
Como é bom ter pessoas assim na nossa Vida!
Beijo carinhoso do 

Querido amigo Zé, embora as vezes pareço distante, saibas que guardo-te sempre em meu coração e agora em minhas orações. Que Deus nos conceda a graça de caminharmos juntos por longos anos.
E se por acaso nossas vidas seguirem outros rumos, guardarei sempre com carinho a doçura no nosso encontro na vida.
Sandra






sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Poesia e Luz

Quando de repente exausta
Resolvo tudo abandonar
Eis que surge um luz opaca
Absorvo-a em meu ser
E pela alquimia do amor a transformo
Lápis e papel à mão
Brilho forte, de luz radiante
Metamorfose de sensações
Irradiante brilho a rondar-me
Transparência de sentimentos
Enfim, abrando meus tormentos
E a poesia se faz singela
Abrindo portas trancadas
Percorrendo longas estradas
A poesia é luz.

Luciana Silveira 

[...]

 Ninguém tem força
para combater
o nosso amor,
mais vivo,
puro e sólido!

Ninguém tem força
para me boicotar,
para destruir
a minha imagem,
que vai para além
de vontades,
convulsões
ou perturbações!

Ninguém tem força
para mudar
a minha forma de viver;
límpida
e bem espelhada
na água da Vida!

Ninguém tem força
para me afastar
do meu caminho:
eu o decidi
e eu o farei!

Ninguém tem força
para de amor falar,
sem o praticar!

Eu
com serenidade,
confio
que o amor vencerá
com a Luz
nas minhas palavras!

José Manuel Brazão


Nem imaginas o quão agradável e gratificante vir até aqui e saborear estes duetos, cheios de emoções e vida plena.
parabéns aos dois.
Eduarda

SolBarreto disse...
Outra linda parceria!
Me encantou os versos de luta, de garra, de coragem e acima de tudo de esperança!

Olhos nos olhos!

Quando fecho meus olhos tristes
Teus meigos olhos me invadem
Olhos que sorriem para os meus
Meus olhos rasos d'água diluem-se
Então nesse momento não há como
Desprender meus olhos dos teus
Corpo e alma enfim compreendem
Essa força que nos une e acalanta
Nosso olhar é luz e fogo e graça
Quando juntos é criatividade pura
Ao te ver miro-me em um espelho
Que logo devolve-me cada reflexo
Teu olhar é porto seguro, amor meu
Onde estou ancorada para sempre
De mãos dadas ou amando-nos
Olhos nos olhos, carne na carne
É no céu que nos encontramos
Pudera eu beber cada lágrima vertida
Navegar pela distância desse mar sem fim.

Luciana Silveira

[...]
Admiro o teu olhar.
fixo os meus olhos
nos teus…

pensas na vida
nos sonhos que te invadem,
nas ilusões que tiveste,
nos dramas que esqueceste.

Os teus olhos
procuram os meus gestos,
a minha alegria de viver,
os meus mimos …

Sorris
e os lábios mexem,
com palavras de encanto,
tornando-os sensuais,
desejados...
José Manuel Brazão

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Não dá para explicar...

Não dá pra explicar
essa vontade louca
esse arder na boca
Que me faz entristecer

Não dá pra explicar
Essa saudade doida
que minha alma açoita
e me faz enlouquecer

Vontade de te ter
Vontade de não ser
essa pessoa
Inversa.
Inquieta.
Incerta.
Sem plural
Tão só.
Vontade de não ser eu
quando não tenho você..

Sandra Freitas

[....]

Não, não dá para explicar
a saudade louca que tenho de ti,
de sentir teus beijos,
de criar-te alegria de viver
e sentires que és mesmo tu
a Mulher que amo ser assim!

E no nosso encanto da Vida
pacifico tua alma
com a minha sempre presente!

José Manuel Brazão


quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Madrugadas e amanheceu em ti!

Madrugada insone
Dança o corpo entre os lençóis
num revirar sem fim
Quarto escuro
Aceso o pensamento
Um inútil abrir e fechar de olhos
O sono não vem ...

Amanhece...
Débil corpo
Mais débil ainda o pensamento
Bêbado e cansado
Olhos de areia
Rubro olhar

E os dias parecem intermináveis
num tempo tão curto pra se viver
Há tanto ainda pra se viver!
E tantos sonhos pra sonhar...

As cores do dia se revezam
Azuis e cinzas pintam a paisagem
e mudam o brilho do olhar
O motivo que faz sorrir
É o mesmo que faz chorar

As horas avançam
Trazem alegrias
Trazem vazios imensos
Grandes redemoinhos no pensamento

Desponta outra vez a madrugada
Mais uma noite acordada?
Tão linda noite de luar!
Tão propícia ao descanso
Tão boa pra dormir e sonhar ...

Regina Ragazzi

[....]

Viste a minha imagem,
que te pareceu;
a luz da tua vida!

O teu Sol raiou
e saíste da noite
de solidão sem fim!

Dias
e mais dias viriam,
sem entenderes,
que eu não era o Sol,
a luz, a esperança,
mas um homem,
apenas um homem
nesta Vida,
que valorizou a Mulher
generosa
carente de compreensão,
harmonia e amor!

Tudo isso te dei
e foste a Mulher
que muito amei
para conquistares
a vida sonhada!

Tudo me deste
em gratidão,
paixão e amor,
numa entrega
dum completar o outro!
..................
..................

Passou tempo ...
 ... e hoje existe
o amanhecer de cada dia,
dentro de ti e de mim!

Seguiremos sempre juntos,
com uma amizade de coração,
mas com destinos diferentes,
sempre com fé e esperança
que dias melhores virão
e que nos reencontraremos
num amor para além da Vida!

José Manuel Brazão

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Sonhos meus e teus!

Todos os sonhos me levam ao infinito
O que sonho não está aqui, está além
Onde nem eu mesma sei... não entendo
Meus sonhos são procuras silenciosas
São azuis que meus olhos contemplam
Em todas as manhãs e noites que vivo

Gosto de olhar o céu , saber que ele existe
A cada dia uma nova paisagem se desenha
Por sobre toda a imensidão
E minha alma se veste dessas cores com alegria
Mesmo que ela se vista de cinza
Porque ela sabe que haverá um outro dia
E novas cores....

Há no céu uma beleza que seduz o meu olhar
E uma paz que me chega tão intensamente
Vinda de algum lugar mais distante
Onde não consigo enxergar, mas eu sinto...

Há um mistério nesse infinito,
Que nunca vou desvendar
Mas eu sonho e nos meus sonhos
Muitas vezes minha alma
chega perto,muito perto de lá ...

regina ragazzi

 [....]

É bom sonhar...
E ficamos com a sensação
duma vida ideal,
mas no acordar
vimos o real e aí
só há um caminho:
coragem e superar,
recolhendo as pedras
que encontrámos
e ignorámos
que serão um monte de ilusões!

Caminho livre
e avançamos
renovando a Vida,
dos hábitos,
das atitudes
e até seleccionando
os Amigos
- aqueles da forma pura de amar –
e a Vida sorrirá,
o Sol abrirá
e a Lua contemplará!

Olhando para trás
veremos o tempo perdido
e aprendido,
mas saberemos
que todo o Tempo é tempo
de corrigir o que errámos
e ver como a Vida se tornou mais bela!

José Manuel Brazão

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Recordando: DESCOBERTA

Cada vez que releio estes dois textos escritos por mim e Luciana emociono-me e recuo a Março de 2010 relembrando aquele tempo em que vi feliz uma Mulher que marcou e marca muito a minha Vida.

Nunca esquecerei o meu passado com todos os momentos bons, menos bons e até maus porque não; fazem-nos crescer na nossa vivência!


Respirou fundo.
Chorou.
E foi um pranto tão sentido que era como um êxtase; ao mesmo tempo que doía a nova constatação lhe percorria pela espinha um frio deixando o sentimento de tornar-se especial a partir dessa nova descoberta.
A noite já retornava e uma lua que levitava no céu, iluminava clareando os sentidos e trazendo esperança. Uma esperança esperada mas sofrida...
Sentia-se envergonhada... não por ter cometido tantos erros durante toda sua existência, nem por ter olhado pelo caleidoscópio na tentativa de melhorar o mundo mas por ter fugido sempre do negro não percebendo que a fusão de todas as cores resulta na cor preta. Isso ela não podia ter ignorado. Era por isso essa dor imensa tardiamente sentida. Não poderia passar por cima, queimar etapas e ficar ilesa no momento do insight.
Sentiu-se tremendamente egoísta...por muitas vezes tivera a chance de compartilhar da visão do caleidoscópio e não o fez porque era mais cômodo habitar seu ilusório e utópico mundinho. Como o Pequeno Príncipe solitário no seu asteróide.
Tivera, por alguns minutos, raiva de si mesma...decepção consigo por não poder/saber ausentar-se e deixar as asas guardadas por um tempo. Raiva de não conseguir ficar com os outros no chão. Não precisava ser por muito tempo, ela poderia ampliar seu campo de visão e retornaria ao seu mundo somente para renovar suas forças. Como o Pequeno Príncipe solitário no seu asteróide resolveu sair e conhecer outras coisas fora do seu mundo...Ele descobriu o valor de tudo que possuia graças a sua ousadia e sua ausência temporária. E principalmente descobriu seu valor quando reencontra sua rosa.
Respirou fundo.
Não chorou mais.
O primeiro passo, o da consciência da estupidez do seu ser finalmente havia emergido.
Respirou fundo.
Permitiu-se chorar.
Perdoou-se.
Deu seu último suspiro antes de caminhar rumo ao tempo perdido.
E então como que trilhasse ora por sob estrelas, ora por sob a grama verde seguiu em busca da paz e da luz.
Ora respirando fundo.
Ora chorando.
Mas dessa vez seu pranto causava-lhe um êxtase diferente, era assim como nascer de novo a cada dia e a cada nova descoberta.
Era o começo.

Luciana Silveira


e apareci eu...

Reflectindo sobre a minha Vida e nesta última fase vejo encontros que me estavam pre-destinados!

Alguns se assemelham tanto, que vieram parar a mim sem os procurar!

No tempo e momento certos enfrentei o passado de duas mulheres, que foi violento,vividos e sofridos com marcas, que me inpressionaram e me fez estender a minha mão amiga e solidária!

Sofri o que passaram, por vezes, ao ponto de imaginar como teria sido e envolvendo-me muito com elas!

Não é fácil renovar a estrutura emocional duma mulher vitima de passado violento; ela vive um silêncio como sua própria “defesa” e há que lhe inspirar confiança para que aceitem partilhar o que existe dentro delas!

Consegui que tudo isso acontecesse e vissem em mim, em primeiro lugar o homem para as ajudar!

Durante este tempo os laços afectivos vão se aproximando e começam indícios de que já temos necessidade de nos sentir, isto é, que o distante se torna próximo e convivemos como se estivéssemos na mesma casa!

Para isto haverá total sintonia ao ponto de quase se saber o que outro vai dizer ou quer fazer. Também haverá um total entendimento, que facilitará a vivência diária de cada um!

Estes dois casos que marcam a minha Vida parecem contos de fadas, mas são Vida. Uma realidade de amor incondicional, que leva cada uma das pessoas envolvidas a sentir gratidão, porque deixaram de existir, mas passaram a viver!

José Manuel Brazão

LU
A minha gratidão por aquilo que foste para mim e todo o carinho que manteremos na vida!
Beijo grande
para ti e Rafa
do ZÉ

sábado, 12 de novembro de 2011

Um amor em silêncio

Eu, também o amo! Amo-te de uma maneira muito diferente. Amo-o de maneira silenciosa, não posso manifestar o que sinto. Amo-o, mas não o tenho ao meu lado. Não posso procurá-lo porque te prejudicaria. Amo-o em distância e tenho que ser um aço com meus sentimentos para não desanimar. Amo-o desta maneira. É uma maneira sem brilho, mas o amo demais! Cada novo amanhecer descubro que o amo mais e mais. O tempo e o silêncio serão os meus companheiros deste amor.

Graciele Gessner


[....]

Sofro, com este amor,
vivido no meu silêncio!

Amo
como nunca amei...
Por me sentir só?
Não...
Porque não tenho a rosa,
a rosa vermelha!

Tantas rosas conheci
e só esta
eu admiro e amo!

No silêncio,
sinto o seu aroma,
vejo a sua cor:
de vida ...
o seu olhar generoso:
que me dá
o afecto, o amor!

É bela a paixão,
mas tem dor,
aperta o meu coração!

Estou neste amor
Vivido em silêncio,
até partir
na minha ascensão...

José Manuel Brazão


sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Vive... nunca desistas!

Prendi o cabelo
Tirei o batom
Por fora o sorriso amarelo
máscara do ofício.
Por dentro
Choro e dor...
Tristeza desmedida
vontade de viver
escapando pelos dedos
Nada faz sentido..
Só a morte
Branda e doce
Me convida pra uma valsa
E hoje me apetece
Jogar-me em seus braços
Lânguidos e frios..
Fim do tormento
Noite infinita.
........................mas uma tênue chama
continua a queimar.... tendo em minhas lágrimas
seu combustível...


Sandra Freitas

[....]

Mulher sorridente,
doce,
de amor ardente,
porque não vives?

Tens medos,
hesitações;
agarrada ao passado,
que já passou!

No presente
liberta as amarras
que trazes contigo
e dá-te à Vida!

Mostra
que tens muito amor
para dar
e queres receber
de quem te compreenda
e te ame!

Mostra
que não queres o Outono
na tua vida
e esperas florescer
com uma primavera
de muita flor,
de muito encanto!

Mostra
que queres viver…
e eu estarei aqui
para que nunca desistas!

José Manuel Brazão

domingo, 6 de novembro de 2011

A gaiola/A concha


Eu te obedecerei
enquanto me recupero,
enquanto me preparo
para minha liberdade.
Sentarei se me mandares,
calarei se me ordenares,
Me levanto se quiseres
Cantarei meu canto triste
quando quiseres me ouvir.
Terás por enquanto minha obediência cega
mas nunca mais terás o meu respeito.
Terás minha submissão entregue
mas minha alma, essa é livre
e vai redimir meu corpo tão logo
eu reaprenda a voar..


Sandra Freitas




[]....]


Vives nessa concha
em que sentes protecção,
mas não vives
a vida que sonhas
e desejas!


Vives um mundo
só teu,
vives um silêncio
de amor sofrido!


Um sofrimento
sem limites,
mas
o teu pensamento,
está na concha
e no coração de alguém…


José Manuel Brazão

Magia em seu olhar


Parecia um sonho,
Instantes de paralização.
Os seus olhos me devoraram
Meu corpo teve a sua investigação.


O brilho em seu olhar
Manifestou o seu encantamento.
Seus olhos azuis me deslumbraram,
Simples magia do nosso momento.


Revelou-se... Apaixonou-se!
Não era necessário explicação,
Tudo está visível ao coração...

Graciele Gessner




[....]


Admiro o teu olhar.
fixo os meus olhos
nos teus…
pensas na vida.
nos sonhos que te invadem,
nas ilusões que tiveste,
nos dramas que esqueceste.

Os teus olhos
procuram os meus gestos,
a minha alegria de viver,
os meus mimos …

Sorris
e os lábios mexem,
com palavras de encanto,
tornando-os sensuais,
desejados
por um amor como o meu!

José Manuel Brazão

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Espelhos


Mirei em teu espelho
Por dentro, me vejo
E será esse meu segredo
Aquele que se expõe
Grita, gira o mundo
E volta sempre pra ti
Marco em minha mente
Teu beijo de serpente
Pronto pra me devorar
Sorvo cada semente
Desmedidamente de ti
E transcendemos
Quebramos os espelhos
enfim.


Luciana Silveira


[....]

Espelho-me em ti,
viajo pelo teu corpo,
beijo-te com fervor
pelo amor
que me entregas,
pelas sementes
que existem em ti
e perdidos
Quebramos os espelhos
enfim.

José Manuel Brazão



sexta-feira, 14 de outubro de 2011

eu queria tanto...

Admito, fui forte, até o dia que fui absorvida por um novo sentimento... Eu te queria tanto, mas você não correspondeu. Não me apaixonei por você, porém, aprendi a gostar de você. Acabei indo além, do gostar já estava a amá-lo. Amando sem saber ao certo qual direção tomar, sem saber as suas verdadeiras intenções.


Fracassei nesta relação casual, não consegui-me manter distante, simplesmente me envolvi. Não foi preciso se apaixonar, eu te amei. O fracasso de ter pensado que temos o poder de controlar os nossos sentimentos. Puro engano! O coração sempre acaba ganhando da razão, abrindo espaço para a emoção.

Graciele Gessner 


[....]

Aquele sorriso
pensava que fosse meu;
ela não mo deu,
mas ficou em mim.

Deu-me
o seu carinho,
a sua afeição,
que florescem
dia após dia,
com vidas,
que nos aproximam
e nos deixam felizes
com este viver!

Não recuaremos
e Continuaremos
este caminho
com a nossa convicção
e determinação!

Assim será!

José Manuel Brazão

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Você é a razão


A causa de estar sonhando acordada é porque você existe na minha vida. O motivo dos olhos brilhantes; o lindo sorriso espontâneo estampado nos lábios demonstra o quanto é bom ter alguém especial. Você é o princípio natural da vida, a causa da minha alegria!


Você é a minha razão, do amor-perfeito, do relacionamento certo. Você é a razão do amor que me envolve, a razão do sentimento que brotou em meu coração.


Confesso: jamais pensei que voltaria sentir o amor em meu peito. Sim, sou uma mulher forte, mas me entreguei, me envolvi. Hoje, agradeço a Deus por ter-me mostrado que estou viva! Nunca morri, apenas adormeci perante a vida.

Você é a razão de estar sonhando! Obrigada!

Graciele Gessner

[....]

Não,nunca morri,
apenas adormeci
perante a Vida!

Quando acordei
questionei
os sonhos havidos,
a sua razão,
o meu optimismo,
a minha esperança,
a minha doação.

Deixei
o tempo correr;
em cada instante
oportunidades perdidas,
mas valeu a pena
este percurso de Vida,
porque acordei a tempo
de recuperar
o tempo adormecido
e ter-te conhecido!

José Manuel Brazão

terça-feira, 11 de outubro de 2011

TU e EU sempre!

De repente
o silêncio atrevido
interrompeu
nossa conversa,
gritando em nossos
olhos
e sufocando a sua boca
na minha..
eternizando
o mais doce
tormento
das
minhas
lembranças...

Sandra Freitas


[...]

Acordas
tanto para viver
alegrias
como tristezas!

Quando pensas
em mim
espalhas toda a alegria,
mas quando pensas
na vida que tens
vem a tristeza
e deixa-te refém
de uma solidão
que não queres!

Recordas
a minha imagem,
olhas o Céu
e perguntas à Lua:
será amor ou paixão?

A Lua não responde,
Apenas te sorri!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Vício

Sua ausência
me atordoa
me maltrata
e não perdoa
me enfraquece
e me destoa .
E não vejo solução.
Deste o início
é meu vício
não encontro
tratamento
vivo a dor
desse momento:
sem remédio
sem razão.
E me mordo
de saudade,
me aperto feito louca
me confesso viciada
em beijar a sua boca...

Sandra Freitas 

[....]

Olho para ti
e vejo os teus lábios
colorirem tua beleza.

Procuro neles
as palavras tímidas,
mas carinhosas,
sinceras
e sonhadoras.

Teus lábios
inspiram muito amor,
para receberes e dares…

Teus lábios
juntam-se aos meus
e voamos
com as asas do amor!
José Manuel Brazão

domingo, 9 de outubro de 2011

Nasce o dia e eu renasço com ele

Há muito tempo
que vejo o Sol nascer…
Já nem me lembro
quando foi…!

Nem sempre
ele me sorri,
por vezes
 parece cinzentão,
mas quase sempre,
brilha e aquece
o meu coração!

Tu
minha alma querida,
ficas triste,
muito sofrida,
incompreendida!

O teu amanhecer,
nem sempre é igual.

Eu
com fé inabalável,
vejo mais perto
o teu desejado Sol;
Sereno, digo-te:
chegará o teu amanhecer!


E eu
distante mas próximo,
verei e sorrirei
quando esse amanhecer chegar
... e aí o tens neste Domingo...

José Manuel Brazão

 [....]

Não há lugar para espinhos
Nos dias de domingo
Acordo junto com o nascer do sol
E logo me sinto envolvida
Pela paisagem mágica e acolhedora
Cheia de luzes, aromas e cores

Nasce o dia e eu renasço com ele
Com o coração cheio de vida e calor
E minh’ alma transbordando alegria
Estou viva!! Sem feridas, sem dor
Volto a ser a menina sonhadora
A borboboleta, o anjo, a flor...

O silêncio e a solidão nesse momento
Me trazem uma paz que me acalma e conforta
E tudo o mais fica tão pequeno
Diante dessa imensidão de emoções e sentimentos
Que é impossível não dizer que estou feliz...

regina ragazzi

sábado, 8 de outubro de 2011

SANDRA: Feliz aniversário!



Meu regaço de carinho



Em nossas idas e vindas
Nessas linhas
verbais
Quis a vida nosso encontro.
Suas palavras
me afagaram
e me deram
seu ombro,
seu colo gentil.
Seu olhar a me dizer
afetos e me embalar
sob a sonora melodia
de uma nova face do amor:
a cumplicidade.
Partilhamos então
nosso amor
e nossa fúria,
verdades
e amizade,
em versos
e reversos,
que transpoem o limite do mar.
Amados por uns
Preteridos por outros.
Fecundados em nós.

Sandra Freitas

[....]

És linda
como eu te vejo.
mulher carinhosa,
generosa,
humilde na Vida
em que eu sou sempre
melhor que tu,
mas sei do teu valor
de Mulher e de Poeta!

Na Vida
estou um pedação no teu coração
e como mulher crente
estou nos teus momentos de oração!

Na poesia
dás tudo de ti
para vestir as palavras
de verdade,
da tua força interior,
que provoca em mim
ser o teu parceiro ideal
para aquilo que expressas!

Nada mais confortante
do que seres
o meu regaço de carinho!

José Manuel Brazão






Que neste dia e no futuro
sejas feliz naquilo que desejas!
Beijokas do  ZÉ

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Almas em um só destino / Vidas que se cruzam

As almas se reconhecem.
As almas que se identificam;
Puramente se solidificam.

As almas quando se localizam
Não conseguem viver separadas,
Simplesmente se desejam.

As almas que se descobrem
Não se afastam, se aproximam.
Unem-se, se concretizando,
Felizes por terem-se encontrado.

As almas se entrelaçam entre si;
Não existe padrão, apenas emoção.
Não existe a razão, somente coração.

Feliz é aquela alma que reconhece,
Uma solitária que localiza a sua metade.
Uma alma para completar a sua felicidade.

Graciele Gessner

[....]

Vidas que se cruzam,
vindas pelo destino,
em que dois corpos
se unem numa vida comum!

E  aqui neste plano terreno
convivem, corrigem ,
ajudam e aprendem,
que para além dos corpos
existe um amor inacabado
se não houver fusão de suas almas!

José Manuel Brazão