* Outros Blogs do meu Grupo *

sábado, 15 de maio de 2010

Penumbras - Esqueci!



Penumbras

Que dizer?
Se não, que esqueci de esquecer
todas as horas em que nos demos um ao outro.
Que é uma mortalha, esse amor que carrego,
que me pesa os ombros, mas aquece a noite.
Que dizer?
Se mentistes a ti e a mim.
Se de fato nunca houve amor em teus olhos.
Que dizer?
Se foi culpa e não desejo.
Se me ocultaste em teu coração
Frio e duro, por covardia e não amor.
Que dizer do ciúme que ainda me causa,
os olhos da luz sobre ti.
Da dor que meus dedos reclamam, por nunca mais te tocar.
Loucura.
Insensatez.
Pérfido sentimento, que engole os meus dias.
Crueldade sem fim da vida.
Antes jamais visse a o dia, que ter te olhado a primeira vez.

Sandra Freitas



Esqueci!

Tua imagem
andava comigo
dia e noite
e nada nos parava
ou calava!

Um dia
surgiram dúvidas
se era paixão
ou amor?

No amor
Não podem existir dúvidas!

Paixão na vida
senti algumas!

Amor
por mulher
apenas
as que mereci,
dando
tudo de mim,
o corpo e a alma!

Dei mais do que recebi,
mas não importa;
enquanto viver
serei assim!

Com a mulher
que marcou o meu tempo,
com intensidade vivi
e no seu “acordar”,
reagi:
disse adeus
e esqueci!

José Manuel Brazão

1 comentário:

Poesias e Canções disse...

Esqueci...
de esquecer o que jamais deixei de sentir
As lembranças que cobri
fiinjindo não saber onde estavam
Mas que guardava-as como tesouro em meu coração
Fiz um caminho só meu
Onde somente eu lembro e mais ninguém
Mas as vezes pensando que fazes o mesmo
escondo-me então de mim
com medo de que encontres tudo o que sinto
E que se perca o encanto
E que se acabe os sonhos
E até mesmo a tristeza , minha companheira com quem convivo a tanto tempo
escondida em meu sorriso que dizem lindo
e que oculta o que dizem meus olhos
Que são só saudade
Uma profunda dor
O arreepndimento de ter aberto meus braços para deixá-lo ir
E o excesso de minha confiança
aguardando ter sido arrebatada, sequestrada por ti
como as princesas dos castelos com um nobre prometido
mas que preferem ser capturadas por um guerreiro
Pensavas que eras um assim...
E isso é o que quero pensar de ti
mas no fundo és um nobre, mas nobre do que eu
Que se ama e se arrisca em amar outra vez
Enquanto eu, aprisiono-me nas lembranças e tentando arrancá-las de mim , tentando esquecê-las, tudo o que faço é embrenhar-me ainda mais nas lembranças dos tempos que não voltam mais!
A.M